segunda-feira, 4 de agosto de 2008


Tudo tem o seu tempo


“Todas as coisas têm o seu tempo, e todas elas passam debaixo do céu segundo o tempo que a cada um foi prescrito. Há tempo de nascer, e tempo de morrer. Há tempo de plantar, e tempo de arrancar o que se plantou. Há tempo de matar, e tempo de sarar. Há tempo de destruir, e tempo de edifiar. Há tempo de chorar, e tempo de rir. Há tempo de se afligir, e tempo de dançar. Há tempo de espalhar pedras, e tempo de as ajuntar. Há tempo de dar abraços, e tempo de se afastar deles. Há tempo de adquirir, e tempo de perder. Há tempo de guardar, e tempo de lançar fora. Há tempo de rasgar, e tempo de coser. Há tempo de calar, e tempo de falar. Há tempo de amor, e tempo de ódio. Há tempo de guerra, e tempo de paz.”

Livro do Eclesiastes
Foto: Paula Freire, Horto Florestal, SP, julho de 2008

2 comentários:

TCarvalho disse...

Comadre,

Nos dias de hoje, há tempo?
Quem dera!
Mas é tempo de morangos.
Eles estão nas feiras lindos e vermelhos, embora um tanto grandes para serem naturais.

Será que deram o tempo certo pra eles amadurecerem?
Bjs.
Sergio Lima

Sérgio Lima disse...

Oi comadre.
Já estamos quase no final de outubro.
O tempo passa e você não escreve mais
aqui. Sem tempo? Ou decepcionada, como eu,de ver que ninguém do nosso mundinho liga pra blog.
Bjs. saudosos.
Sergio