domingo, 20 de julho de 2008


No quase escuro do quarto de janelas entreabertas não vê nem ouve estrelas. Pulsa.
imagem: Airton Ribeiro, 2007

3 comentários:

Márcia disse...

No quarto escuro de janelas quase abertas, estrelas aparecem, mas o barulho da rua impede o ouvir estrelas, ora, quem diria? (re)pulsa.
Beijos
P.S. lembra de mim?

Ana disse...

Claro que me lembro de você, Márcia. E fiquei feliz em vê-la por aqui. E mais feliz ainda com a emenda, melhor do que o soneto.
Beijo pra você.

Márcia disse...

Oi, Ana! como vc está?
obrigada pelas palavras, me sinto honrada em vc achar isso!
Beijo